Final Totalmente Demais

Totalmente Demais chegou ao fim nesta segunda-feira (30) com saldo mais do que positivo. A novela das 19 horas conquistou o público com uma trama simples e tradicional, comum a tantos outros folhetins, não só no Brasil, mas no mundo.

A obra de Rosane Svartman e Paulo Halm, com direção de Luiz Henrique Rios, trouxe para o telespectador o romance clássico, o triângulo amoroso que fez o público torcer com quem a mocinha terminaria. A gata borralheira, menina pobre que encontra o príncipe e se dá bem na vida. A comédia tão necessária nessa faixa de novelas da Globo e dramas paralelos completamente coerentes e agregadores, como foi a abordagem da infertilidade e adoção, assim como a deficiência física como um trampolim social.

Totalmente Demais cumpriu seu papel de entreter com qualidade técnica e artística, personagens cativantes, atuações marcantes, vilões, mocinhos, protagonistas e coadjuvantes que se encontram e se destacam eu seus devidos lugares.


A novela encantou o público de várias idades, desde as crianças, passando pelos jovens até os mais idosos. Um melodrama cômico, com diversão e tristeza bem dosados, sem exageros, sem malabarismos, efeitos especiais, cenários grandiosos, figurinos cacricatos, ou coisa parecida.

Totalmente Demais fez o arroz com feijão bem feito, aquele que ninguém se enjoa e está sempre pronto para repetir o prato incansavelmente.

Por fim, Eliza ( Mariana Ruy Barbosa) terminou com Jonatas (Felipe Simas), o final coerente para o casal, como havia sido prometido pelos autores, afinal, ele sempre foi o grande amor da vida dela. Arthur (Fábio Assunção) foi apenas o amor que a ajudou a se tornar mulher.