Nova Escolinha mostra que falta bons humorista na TV brasileira

nova Escolhinha do Professor Raimundo

A Nova Escolinha do Professor Raimundo estreou no Canal Viva. Assistindo ao programa é possível sentir falta fácil das Escolhinhas do Barulho da Rede Record, Escolinha do Golias do SBT e Escolinha Muito Louca da Bandeirantes. Pois essas “Escolinhas” tinham textos superiores aos apresentados na nova “Escolinha” da Globo.

Ninguém nunca será Chico Anysio, nem mesmo Bruno Mazzeo. A Nova Escolinha do Professor Raimundo tem péssimas atuações e faz sentir falta do elenco da Escolhinha original.

Marcelo Adnet se perdeu totalmente depois que assinou contrato com a Globo. Ele nunca mais foi o humorista dos bons tempos de MTV, Dani Calabresa encara uma personagem Muambeira, lembra muito uma personagem da Escolinha do Magal. Otaviano Costa prova que como ator não convence ninguém, ao encarar o papel do aluno inteligente. Fernanda Freitas precisa voltar fazer novelas, para tentar fazer algo útil na TV. Fernanda Souza como Tati não convenceu nem o próprio Bruno Mazzeo, pois quando sua personagem abre a boca ninguém entende nada do que ela fala, gírias exageradas, Tati falava muita gíria mas era possível enteder, tinha tradução na tela. Marcius Melhem não convence como ator, nem roterista. Deveria ter recusado convite. Marcius nunca irá para galera como Seu Boneco.


Como toda a regra tem sua exceção, Matheus Solano mostrou porque é bom ator, encarou Ze Bonitinho com maestria. Seus trejeitos, tom de voz, piadinhas, é o estilo galanteador barato. Fabiana Karla também deu aulas encarando a personagem que pertenceu a Claudia Jimenez.

Se instituto de lançar a Nova Escolinha do Professor Raimundo foi homenagear Chico Anysio, ele deve estar chorando onde ele estiver. Se foi criada com intuito de bater o Programa Silvio Santos, vai penar muito. A Nova Escolinha é fraca de roteiro e atuação. Não se faz um programa contando com atuação de dois atores. Realmente o padrão Globo de qualidade não existe mais, não existe mais bons humoristas no Brasil. Não existe mais Chico Anysio. A Nova Escolinha Mostra apenas algo que acontece desde que TV É TV no Brasil, não há reconhecimento de quem faz história. Hoje pessoas estão na TV por nepotismo. A Nova Escolhinha soa como ofensa ao público.

Por Mike Meneghetti
facebook.com/MeneghettiMike