Record troca seis por meia dúzia

Prova de Amor e Dona Xepa

No final de junho, a Rede Record mandou comunicado informando que, com o fim dos Jogos Pan-Americanos o Programa da Tarde sairia do lugar devido a uma contenção de despesas, dando lugar a reprise de novelas . Registrando médias entre 4 e 6 pontos de ibope na Grande São Paulo e com base em pesquisas encomendadas, a emissora optou por um corte de despesas devido a crise econômica.

No dia 12 de julho, reestreou na grade da Record as novelas Prova de Amor e Dona Xepa. Exibida das 14h40 até as 15h45, a novela de Tiago Santiago que foi ao ar pela primeira vez no ano de 2015 que ameaçou a Globo recebeu 7 pontos do Balanço Geral entregando com 3 para a atração seguinte, fechando com uma média consolidada de 3.7 pontos. Na sequência, Dona Xepa – remake de uma peça de teatro que já virou novela de Gilberto Braga na faixa das 18h em meados da década de 1970, marcou míseros 2,5 pontos sendo a novela menos vista do dia: a turca Mil e Uma Noites , no ar pela Band marcou 3 pontos. No geral, mesmo índice da atração cancelada.

Já na terça-feira (28) o resultado foi pior: Prova de Amor despencou para 3.3 pontos e durante alguns minutos Dona Xepa chegou a ficar na sexta posição, perdendo nada menos para os infantis da Cultura e da revista vespertina Mulheres (Gazeta) além de ver a Rede Vida encostando na Record.


O desempenho das reprises acabou prejudicando o desempenho de uma das maiores audiências da Record: o programa Cidade Alerta. Começando um pouco mais cedo (16h45 contra 17h00 até o dia 12/07), a atração comandada por Marcelo Rezende teve que picar 16 pontos para conseguir 8 pontos de média arredondados. No dia seguinte, registrou 7.

Para evitar um prejuízo maior, o SBT preparou chamadas de um capítulo especial da re-reprise de Pérola Negra, protagonizado por Patrícia de Sabrit que manteve seus tradicionais 5/6 pontos de média. Já na Globo o primeiro capítulo de Caminho das Índias marcou 13 pontos na Grande São Paulo.

A Record nunca teve boas experiências com suas reprises, ao contrário do SBT que sempre foi bem com exibição de enésimas reprises de Maria do Bairro, A Usurpadora , readaptações de folhetins mexicanas com “pitada brasileira” além de textos inéditos em terra tupiniquim.

Sem contar a Globo que desde 1980 mantém o Vale a Pena Ver de Novo para reprises de grandes sucessos da teledramaturgia local. No ano de 2007, a Record colocou no ar a reprise de A Escrava Isaura, folhetim de Tiago Santiago com base no livro homônimo de Bernardo Guimarães conta a história de uma branca filha de negros que acabou virando escrava no Brasil do século XIX. Nesse mesmo ano, a reexibição de Essas Mulheres (2005) chegou a zerar durante alguns minutos e não durou um mês completo.

Uma das poucas coisas que funcionou nas tardes da Record foi o Programa da Tarde comandado por Maria Cândida entre 2007 e 2008, além do Tudo a Ver que exibia inúmeras reprises de matérias antes veiculadas no Domingo Espetacular.

Por Erivelton Moraes
www.facebook.com/erivelton.silva1991