Alto Astral conquista o público com humor e simplicidade


Alto Astral chegou devagar na tela da Globo, sem muitas pretensões e terminou nesta sexta-feira (08) como uma grata surpresa para a faixa das 19h, que estava para lá de caída.

Com um enredo comum, típico para uma novela, sem invenções, Altro Astral conquistou o público. Romance, maldade, loucura, humor, tudo na medida, fizeram da novela uma agradável experiência para o telespectador, que mais uma vez mostra que não quer nada além do velho e bom folhetim tradicional.

O autor estreante, Daniel Ortiz, começou com o pé direito e, ao lado do diretor Jorge Fernando e sua equipe, conseguiram fazer uma novela que pode não entrar para a história como um super sucesso, mas sim como a trama que resgatou o público de um horário falido, superando suas antecessoras Além do Horizonte e Geração Brasil, que foram um fracasso.


Além do roteiro e direção, o elenco de Alto Astral fez toda a diferença, Leopoldo Pacheco, Elizabeth Savalla, Christiane Torloni, Silvia Pfeifer e Thiago Lacerda cumpriram com maestria seus papeis. Sem contar o casal protagonista interpretado por Sérgio Guizé e Nathalia Dill, que sofreram como os mocinhos devem sofrer e terminaram como o público espera, felizes para sempre!

Mas de tudo isso, nada, mas nada mesmo, supera o destaque de Samantha e Pepito, vividos por Cláudia Raia e Conrado Caputo, a dupla hilária roubou a cena e praticamente fez uma novela a parte. Divertidíssimos, eles fizeram o público lembrar que o horário das 19 é tradicionalmente uma faixa de tramas bem humoradas, leve e desprentensiosa.

O último capítulo

O episódio final mostrou o casamento de Laura (Nathalia Dill) e Caíque (Sérgio Guizé). A noiva foi levada ao altar pelo seu pai Marcelo (Edson Celulari) e seu avô Vicente (Otávio Augusto). Outros casais também tiveram finais felizes, como Samantha e Mohammed, Gaby e Emerson, Itália e César e Maria Inês e Marcelo.

Bia (Raquel Fabbri) finalmente teve seu amor correspondido e terminou dando um beijão em Israel (Kaiky Brito).

Marcos (Thiago Lacerda) foi diagnosticado com esquizofrenia e acabou internado em um manicômio judiciário. Surtado, ele recebeu a visita de Maria Inês (Christiane Torloni) que, emocionada, tentou acalmar seu filho, que não a reconheceu.

Gustavo (Guilherme Leicam), Bélgica (Giovanna Lancellotti) e Adriana (Totia Meireles) foram condenados pelas situações ilegais envolvidas.

O irmão de Laura (Nathalia Dill) pegou cinco anos de prisão, por transportar e comercializar entorpecentes. Depois de ameaçar e cometer lesão corporal a Gaby (Sophia Abrahão) ao cortar seu cabelo, Bélgica terá que prestar serviços à comunidade durante um ano.

Adriana, a assassina do pai de criação de Laura, foi condenada a 30 anos em regime fechado.
A cena final de Alto Astral mostrou Laura e Caíque correndo na praia com a pequena Bella no melhor estilo família feliz.

Audiência

O capítulo final de Alto Astral teve 27 pontos de média, com 30 de pico, e 43.9% de participação do share. No geral a novela marcou 22 pontos de média, um bom número para a atual realidade da audiência.

Em sua reta final, Alto Astral chegou a dar mais audiência que Babilônia, o que é mais um demérito da trama das 21h, do que um feito da novela das 19h. Mas de qualquer maneira vale o registro histórico.