Novo Jornal Nacional aposta na informalidade e na tecnologia


Estreou na noite de segunda-feira (27) o novo Jornal Nacional. Com cenário reformulado e a implantação de novas tecnologias, o telejornal da Globo aposta, nessa nova fase, na informalidade aliada a modernidade.

Além da nova postura dos apresentadores Willian Bonner e Renata Vasconcelos, que deixaram de usar apenas a bancada e passaram a circular pelo cenário, o grande telão que interage com os âncoras é o destaque do novo visual do Jornal Nacional.

O telão permite que as entradas dos repórteres e correspondentes, ao vivo, dê a impressão de que os jornalistas que falavam à distância estavam em um mesmo cenário do que os apresentadores, uma espécie de janela virtual, mas muito real. A previsão do tempo, feita em tempo real pela jornalista Maria Julia Coutinho também veio para somar.


No cenário permanecem os tons de azul, agora um pouco mais claro, sem a presença do vermelho e o reforço do branco e cinza. Essas cores deixaram um visual clean e agradável. A redação ao fundo permanece a mesma, o telão, também ao fundo foi ampliado.

As mudanças no Jornal Nacional e a informalidade de Willian Bonner e Renata Vasconcelos reforçam uma tendência que já vinha sendo empregada na Globo. Com exceção do JN, os demais telejornais da casa, Jornal da Globo, Jornal Hoje e Bom dia Brasil, além dos regionais, já adotaram há algum tempo a informalidade, a postura dos apresentadores em pé e o uso do cenário e telões.

No conteúdo não houve alterações, a linha editorial permanece a mesma, ordens de reportagens e repórteres segue tudo igual. Mas a mudança de visual e postura dos âncoras já traz uma maior proximidade com o público e é um ponto muito positivo nessa nova fase do Jornal Nacional.