O que acontece com a audiência de Babilônia?


Na última quarta-feira (25) a audiência de Babilônia deu um susto na Globo. A novela marcou apenas 24,9 pontos, a pior média desde a estreia em 16 de março e um dos piores índices já registrados por uma novela das 21 horas.

Para se ter uma ideia, a audiência de Babilônia foi inferior a da novela da 19h, Alto Astral, que marcou 25,3 pontos de média e ainda menor do que a audiência do Big Brother Brasil 15, que alcançou 27,8 pontos.

No geral, desde a estreia, quando Babilônia marcou 33 pontos, a audiência da novela não passa de 30 pontos, o que é considerado muito baixo para o horário, que até algum tempo atrás marcava médias acima dos 40 pontos.


Os questionamentos são muitos. Por que uma novela com bom texto, elenco de primeira, direção primorosa, não tem agradado o público? A resposta não é tão difícil, mas também não é simples.

Alguns pontos têm contribuído para a baixa audiência de Babilônia, abaixo apontamos algums deles:

1 – Queda natural da audiência da TV aberta: A televisão aberta no Brasil, não somente a Globo, tem perdido público nos últimos anos e a tendência é que isso se acentue ainda mais ao longo dos anos. Reflexo da concorrência com a TV paga, que tem crescido e das novas mídias como internet, e sistemas on demand, como Netflix, que oferece filmes e séries a um baixo custo. Tem ainda a internet, que avança a cada dia. Com isso, o share, número de aparehos ligados na TV aberta, está cada vez menor.

2 – Acesso à cultura: Nos últimos anos, com o aumento da renda e de certa forma a democratização da cultura, as pessoas passaram a ter mais condições de ir ao cinema, teatro, shows, etc. Com isso, ficar em casa assistindo televisão, deixou de ser a única opção de lazer para muitos brasileiros.

3 – Concorrência: A Globo reinou absoluta na televisão aberta brasileira durante quase toda sua existência, que completa 50 anos em 2015. Poucas vezes uma emissora ameaçou a hegemonia da emissora, alguns programas concorrentes chegaram a vencer a Globo, mas nada que prejudicasse a liderança da Globo. Porém, nos últimos anos, o público passou a prestigiar com mais frequência outros canais, que passaram a investir em suas programações e conseguiram diminuir a diferença na audiência.

Para se ter uma ideia, na quarta-feira (25), quando Babilônia amargou 24,9 pontos, Carrossel do SBT marcou 11,9 pontos e Os Dez Mandamentos da Record alcançou 11,7, a Band, com a novela Mil e Uma Noites marcou 2,9 pontos. Somadas, as três principais concorrentes marcaram 26,5 pontos, superando a média da Globo no horário.

Claro que ainda é uma diferença grande, mas diminuiu e muito nos últimos tempos e deve seguir assim, nos próximos anos.

4 – Rejeição: Outro fator que tem contribuido para a baixa audiência de Babilônia é a rejeição do público. A novela, apesar de ter uma excelente qualidade técnica e artística, apresenta temas em sua trama que desagradam, infelizmente, uma parcela da sociedade e isso tem dado o que falar.

As personagens lésbicas de Fernanda Montenegro e Natália Timberg tem sido motivo para campanhas contrárias à novela, por parte dos evangélicos, que são contra a prática homossexual e acusam a novela de incentivar que crianças e jovens se tornem gays, como se isso fosse possível, mas diante da crença evangélica na Bíblia, eles julgam que a homossexualidade é um pecado e como tal deve ser combatido. Com isso, a novela bíblica da Record tem atraído o público que não se sente a vontade ao ver duas mulheres demonstrarem seu amor, com beijos.

Mas não são apenas os personagens homossexuais que tem desagradado parcela da sociedade, o excesso de maldade, mentira, vingança, violência e bandidagem que a trama tem explorado, também tem sido rejeitado. Dizem que Babilônia só apresenta desgraça, crimes, vilânia e incentiva práticas ilegais e imorais.

O núcleo de humor, que deveria trazer leveza à novela, tem sido acusada de não ser bom e definitivamente não tem agradado. A mocinha da novela, que deveria fazer um contra ponto com as vilãs, é considerada fraca e não se destaca.

Resumindo, Babilônia, por muitos motivos, alguns coerentes, outros não, tem desagradado o público e afugentado a audiência, que tem migrado para outros canais ou até mesmo para outras atividades, que não seja assistir televisão.

A Globo já acendeu o sinal amarelo e reuniões têm sido realizadas para entender o que está acontecendo e encontrar alternativas para evitar uma queda ainda maior. Afinal, uma novela das 21 horas, horário considerado o mais nobre, com mais televisores ligados e valor de anúncio maior, não pode dar menos audiência que o horário das 19h. Se isso se repetir e se tornar rotineiro, o mercado vai começar a questionar os valores cobrados e aí sim, a situação vai ficar ainda mais complicada.

Ainda é cedo para tirar conclusões finais sobre Babilônia, o inverno está se aproximando e nesse período o número de TV ligadas aumentam, isso se fizer frio. É natural também que com o decorrer dos capítulos o público se envolva mais com a trama e a audiência cresça. Mas que há uma crise, isso há e não dá pra negar!