Quem é o dono da verdade?


Esta semana a Rede Globo está à caça para retirar do ar um vídeo viral postado no Youtube pelo canal de humor Rafucko. Nele o humorista que interpreta a personagem Patrícia Correta, que faz uma clara sátira ao editorial da emissora lido por Willian Bonner no Jornal Nacional de segunda-feira (17) após a morte do cinegrafista da TV Bandeirante Santiago Andrade.

Segundo a Globo a censura é feita por causa dos direitos autorais, mas é nítido o desconforto que o humorista causou diante de um assunto tão complexo que o país vem passando. As correções contra argumentava algumas posições da emissora segundo a opinião do humorista.

Em minha modesta opinião, distante de ser o dono da verdade, acho que qualquer tipo de censura deve ser devidamente banida. E como a liberdade de expressão é para todos, deixo aqui minha análise sobre o fato, ou melhor, sobre os fatos.


Da mesma forma que Raquel Sheherazade foi sumariamente julgada ao opinar e usando de forma sarcástica na bancada do SBT Brasil a expressão “Adote um Bandido”, o tal defensor dos manifestantes baderneiros também deve ser devidamente criticado.

Até a pouco tempo atrás os valores da sociedade eram orientados pela opinião do dito quarto poder, conhecido como jornalismo. Por outro lado, principalmente após o surgimento das redes sociais esse poder se dá agora ao povo. Justo. Sim justos. Porem perigoso quando quem usa desse recurso não tem a mínima responsabilidade no que se propaga.

Em uma publicação coerente, quando se tem a consciência em fazer uma prévia análise de quem tem interesse a divulgação dos fatos, logo se identifica para qual lado a notícia vai pender.

Um exemplo é quando se há uma discussão acalorada sobre, digamos, a qualidade da água da torneira e se é adequado ou não consumi-la, preste atenção se dentre as partes envolvidas não está uma indústria de garrafinhas de plástico. Isso nem sempre é algo ruim, mas é aconselhável pensar em quem pode ganhar com uma ideia revolucionária dessa.

Principalmente após a grande disseminação da internet nas últimas décadas, as fontes nem sempre são imediatamente identificáveis o que dá a liberdade de se expressar sem a devida responsabilidade. O ideal é o receptor da informação perceber se a notícia tem outros interesses, rastreando de onde veio e identificando qual será a transformação que ela vai fazer no destino dos envolvidos.

A condição que vale para os veículos de comunicação também confere com mais exatidão as opiniões de quem não tem compromisso com a verdade. É normal que cada publicação ou veículo tem uma vertente, seja ela direita ou esquerda.

Com a força de caráter opinativo os jornais Folha de São Paulo e o Estado de São Paulo, o Estadão, abdicaram-se por diversas vezes da imparcialidade e emitiram suas opiniões sobre temas polêmicos da sociedade. A Globo, por ocasião, ainda não se utilizou deste expediente, fazendo-se apenas do direito de resposta ao divulgar as próprias retaliações que sofreu durante os protestos.

Baseado na correção observa-se que o grande perigo de tudo isso é parte da população, não treinada para desenvolver opinião, acabe caindo na própria armadilha de ser um contestador sem causa definida. Ou seja, destruir por simplesmente destruir. Arruaceiros que não tem a visão de que estão lutando piorar o que já está ruim.

Ao colocar a opinião de “Globo manipuladora” de forma pejorativa é esquecer, por exemplo, do quão importante à emissora foi para o desenvolvimento do país. Sendo ela manipuladora para a esquerda ou para a direita, a grande empresa de comunicação já levou os espectadores para conhecer diversas culturas e países através das novelas e reportagens do Globo Repórter. Ensina saúde e bem estar nos programas da manha. Debate a notícia, abre espaço para talentos, expõe ideias e ensinamentos em diversos programas. Não ínsita a violência. Prega a educação. E manipula também quando lhe convêm, tal qual qualquer outra empresa de comunicação.

Eu peço ao caro leitor que calcule a devida situação se as mesmas tarefas tivessem sido elaboradas por outra emissora. Salvo a TV Cultura que é tida a segunda melhor emissora de conteúdo do mundo; o que interessaria para a Record, por exemplo, o mantra “Globo manipuladora”?

Por outro lado o que querem os falsos manifestantes baderneiros, além de acabar com a reputação de governos e da imprensa?

Com tudo a moda ficou sendo a de defender os bandidos amarrados em postes e julgar a sociedade que está por consequência sem educação. É culpar, em especial a Globo ao invés do governo que não disponibiliza cidadania descente. É julgar exclusivamente o trabalho ineficaz do governo pela falta de responsabilidade da própria população que não sabe nem mesmo escolher bem o que é certo e o que é errado na hora das eleições.

Na minha famigerada opinião estão se preocupando demais com o carvão ao invés da carne do churrasco. E como sem imprensa não há notícia que esclareça a democracia, e mesmo apesar da censura feita no Youtube é possível ainda ver através de outra canal de vídeos na internet o tal vídeo que segue abaixo:

Boa noite a todos, e fiquem agora com os nossos patrocinadores.