“Fui julgado precipitadamente sem ser ouvido”, se defende Marcão do Povo sobre o caso Ludmilla

Marcão do Povo no Balanço Geral DF (Divulgação)

O apresentador da Record TV DF, Marcão do Povo teve uma conversa franca com o #QueIssoGordinho e explicou os desdobramentos do caso Ludmilla e seu imbróglio contratual com a emissora.

A Record TV em comunicado oficial enviado a imprensa na semana passada afirmou que o apresentador foi demitido. Estranho. Porque tal versão é contestada por Marcão do Povo, que afirma que seu trabalho era elogiado por Douglas Tavolaro, homem que dá as cartas no Jornalismo da empresa de Edir Macedo.

Indignados, os fãs de Marcão organizam manifestação para essa terça-feira (24) na porta da Record TV Brasília. #QueroVer


Vamos acompanhar essa história de perto, né mores?

Ludmilla fala sobre polêmica envolvendo apresentador da Record

Record demite apresentador que chamou Ludmilla de “macaca”

Com novo visual, Ludmilla posa exibindo a barriga: “Estou gostando do que eu vejo”

Na #ConversaComOGordinho, Marcão contou um pouco de sua trajetória até chegar a TV, falou de sua mãe e do orgulho de sua negritude. Afirmou que quando se referiu à Ludmilla em seu programa na Record TV não teve a intenção de ofender a cantora e nem ser racista, algo que repudia.

Em tempo, se desculpou mais uma vez pela colocação infeliz que fez ao comentar uma matéria de #Fofoca onde Ludmilla era acusada de não atender ou tirar fotos com seus fãs.

Leia a seguir e entrevista exclusiva e na íntegra com Marcão do Povo:

#QueIssoGordinho: Marcão do Povão, você faz jus ao seu sobrenome artístico. Você veio da periferia para a TV. Até picolé já vendeu nessa vida. Certo?

Marcão do Povo: Certo, sou de família simples, nasci no interior de Goiás, sou da cidade de Minaçu. Meu pai é um mecânico e minha Mãe foi enfermeira. Durante minha infância, aos sete anos, comecei a vender picolé nas ruas, fui engraxate, trabalhei na colheita de tomate, feijão e milho. Acredito que o trabalho dignifica o homem. Ser chamado de Marcão do Povo para mim é muito gratificante, por que durante toda minha vida eu sempre gostei de lutar e brigar pelos interesses dos menos favorecidos. Tive a honra de ser um dos vereadores mais votados em Gurupi, no Tocantins, cidade que me acolheu e me deu esse título de Marcão do povo.

#QueIssoGordinho: Fale da sua família. Sei que você é casado. Tem filhos?

Marcão do Povo: Sim. Sou casado e muito bem casado. Minha esposa se chama Vanessa Ferreira e estamos juntos há dez anos. Sou pai de duas lindas mocinhas, Maria Fernanda, Izadora Paula.

#QueIssoGordinho: Como sua família e amigos receberam essa sua exposição nacional?

Marcão do Povo: Com muita tristeza claro. Todos que me conhecem, sabem do meu caráter e da minha índole. Estão do meu lado e lutando para me ajudar a esclarecer todo esse mal entendido.

Marcos do Povo e sua mãe
Marcos e sua mãe (Arquivo/Pessoal)

#QueIssoGordinho: Sua mãe, que morreu de câncer, era negra. Racismo não é algo que você apoie. Certo?

Marcão do Povo: Sou filho de uma negra sim e com muito orgulho. Minha mãe faleceu em 2013 vítima de câncer, em Goiânia. Acredito que ela lá no céu está muito triste com que está acontecendo comigo. Ela me criou com muita dificuldade e com muito amor. Jamais apoiei todo e qualquer tipo de discriminação racial. Vejo que, independentemente da cor e da raça, somos todos irmãos e filhos de Deus.

#QueIssoGordinho: Você e sua mãe já foram vítimas de Racismo?

Marcão do Povo: Sim, já fomos e colocamos nas mãos do verdadeiro juíz chamado Jesus Cristo.

#QueIssoGordinho: O que você entende sobre racismo?

Marcão do Povão: Entendo que é uma discriminação ou uma atitude depreciativa sobre um grupo social ou étnico. Vejo que a única forma de acabarmos de vez com isso são todos terem mais respeito e a plena consciência que somos iguais.

#QueIssoGordinho: Marcão tenho observado que a maioria dos veículos de comunicação quando noticiaram sua saída da Record TV seguiram um comunicado oficial da emissora e não fizeram mínimo que é ouvir o outro lado, ou seja, você. Alguma coisa engasgada para dizer para quem fez um pré-julgamento da sua índole?

Marcão do Povo: Me deixa muito triste ver o que está acontecendo. Escreveram mentiras sobre mim, publicaram palavras distorcidas, vídeos difamatórios e reeditados, com um único objetivo acabar com minha reputação e da minha família. Fico preocupado com o conteúdo que algumas emissoras de TV, rádios, jornais impressos e on-line estão levando para povo. No vídeo que está circulando sobre mim e nítido ver que em momento algum eu cometo ato racista, pois eu não referi a cor da pele de ninguém, não usei impressão alguma de cunho difamatório. Usei sim um jargão regional que usamos em grande parte do Brasil. PÉ DE MACACO, MACACO VEI, PÉ DE CACHORRO, PÉ DE TODDY, POBRE MACACO. Agora escreveram nos jornais que eu disse “pobre e macaca”, olha, é só ver o vídeo que verás que jamais eu disse o que estão publicando. Alias, eu também referi a minha pessoa como “pobre macaco”. Mas como é do conhecimento de todos, isso eles não publicaram. Porque isso não vende.

#QueIssoGordinho: Recebeu com espanto a notícia do eu pedido de demissão na Record TV?

Marcão do Povo: Sim. Estou na Record há quatro meses e fizemos um lindo trabalho juntos, eu e toda a equipe. No início foi um grande desafio, mais a cada dia e a cada liderança no IBOPE tínhamos a certeza que estávamos no caminho certo. Realmente fui pego de surpresa, não imaginei que com o sucesso do programa e a boa relação que sempre tive na empresa isso fosse acontecer.

#QueIssoGordinho: Você está demitido ou ainda tem contrato com a Record TV?

Marcão do Povo: Até agora faço parte da Record. Eu fui notificado e fiz minha contra notificação.

#QueIssoGordinho: Depois dessa polêmica toda, existe algo que você queira falar para Ludmilla?

Marcão do Povão: Sim. Eu quero dizer para Ludmilla que em momento algum eu me referi a ela de modo racista ou pejorativo. Sou admirador do trabalho dela e que se ficou algum mal entendido entre eu, ela e seus fãs, quero me desculpar aqui.

#QueIssoGordinho: A Record TV falou em seu nome e repudiou suas afirmações sobre a Ludmilla. O que você sentiu ao estar nessa situação, sem poder dizer nada em sua defesa?

Marcão do Povo: Primeiro que não são afirmações. Eu em nenhum momento me referi a cantora de “macaca e pobre”. Na questão de como me senti, fui orientado pelo meu advogado Dr. Rannieri Lopes a esperar o momento certo da minha defesa, como estou fazendo. Já a emissora tomou a atitude que ela achou necessária para momento.

#QueIssoGordinho: Você era figura certa para vir a São Paulo e participar de alguma atração nacional ou é apenas papo de bastidor?

Marcão do Povo: Vim para a Record para assumir o Balanço Geral Brasília sendo uma das praças de maior importância para a RECORD. Meu objetivo e meu desejo sempre foi chegar em São Paulo e por isso eu vinha trabalhando incansavelmente e me preparando para o dia que esse momento chegasse. Mesmo com os últimos acontecimentos não irei baixar a cabeça, pois sei que ainda tenho muito a fazer pelas pessoas.

#QueIssoGordinho: Seu trabalho já foi elogiado por Douglas Tavolaro, homem que dá as cartas no jornalismo da emissora da Barra Funda?

Marcão do Povo: Sim. Fui elogiado várias vezes pelo rápido e crescente resultado do meu trabalho e da minha equipe em Brasília.

#QueIssoGordinho: Sente que foi sentenciado, julgado e crucificado pelos seus colegas de imprensa neste caso?

Marcão do Povo: Sim. Fui julgado precipitadamente sem ser ouvido ou buscaram entender a verdade dos fatos.

#QueIssoGordinho: O que você sentiu quando a tag #ProcessaLudmilla estava nos trending topics do Twitter?

Marcão do Povão: Na verdade estou sabendo disso agora, não sou muito ligado a twitter. Quem cuida dessas redes sociais é meu assessor de imprensa.

#QueIssoGordinho: Teme ser processado pela Ludmilla? Já foi notificado quanto a isso?

Marcão do Povo: Não temo. A justiça foi feita para que todos nos possamos acioná-la. Se ela entender que está no seu direito, deverá tomar as medidas cabíveis. Eu não fui notificado, as informações que sei são através da imprensa.

#QueIssoGordinho: Existe um papo de bastidor que alguns funcionários da Record TV de Brasília iriam fazer greve em sua solidariedade. Isso procede?

Marcão do Povo: Não tenho conhecimento.

#QueIssoGordinho: Como recebe esse desejo? TV não se faz sozinho e você era líder de audiência e está fora do ar.

Marcão do Povo: Recebo essa situação confiante em DEUS e que tudo será resolvido e esclarecido.

#QueIssoGordinho: Existe uma manifestação que é organizada por fãs do seu trabalho pedindo a sua volta? Procede que vão ocupar a frente da emissora na próxima terça-feira (24) para pedir a volta do Marcão do Povão? Fale desse carinho do público com o seu trabalho.

Marcão do Povo: SIM. Estou recebendo diversas mensagens de amigos me informando sobre esse apoio popular. E é com esse carinho que tenho tido forças para enfrentar e superar mais esse desafio. Sou muito feliz e grato por todo esse gesto de apoio desse povo maravilhoso do meu querido Distrito Federal e entorno.

#QueIssoGordinho Existe algo que queira falar sobre esse assunto ou alguma medida legal que você pretende tomar contra a Record TV?

Marcão do Povo: SIM. Quero voltar a trabalhar logo e dar continuidade ao nosso trabalho em prol das pessoas.

#QueIssoGordinho: Deixe uma frase para seus fãs ou que guia seus passos em meio a tribulações.

Marcão do Povo: Nesse momento só tenho que agradecer a todos pelo carinho recebido e dizer que todo esse apoio só me fortalece e me edifica para continuar o meu trabalho. Obrigado, Brasil!

Outro Lado

A reportagem do #QueIssoGordinho entrou em contato com a assessoria de imprensa da cantora Ludmilla e com a Record TV. Ambas não se pronunciaram novamente sobre o assunto. A Record TV mantém a nota da decisão sobre a demissão de Marcão e Ludmilla permanece com seu post repudiando as declarações do jornalistaa. Caso se manifestem novamente essa nota será atualizada.

Colunista Rodrigo Teixeira

*As informações e opiniões expressas nessa coluna são de total responsabilidade de seu autor.