“Extremo talento”, diz Eva Wilma ao se referir a Grazi Massafera como “exceção” em meio aos atores que saíram do BBB

Eva Wilma (Divulgação)

Eva Wilma brilhou no prêmio Cesgranrio de Teatro deste ano. A veterana, que é referência para as novas gerações de atores, é só elogios a #deslumbrante Grazi Massafera e chegou a classificá-la como “exceção” em meio a safra de atores que saíram do reality show Big Brother Brasil, da Rede Globo.

“Tem muita gente de talento. Eu fico muito feliz. Eu vou dar um exemplo interessante. Uma pessoa que saiu Big Brother, não é? Que a gente critica, não é? Mas é uma exceção, uma menina de extremo talento e eu sempre falei isso. E tive o prazer que contracenar com ela em Verdades Secretas. É a [Grazi] Massafera. Eu sempre digo que achei ela atriz e boa atriz. É isso”, disse Eva Wilma.

Eva revelou que considera Nicette Bruno uma “irmã”


“Minha irmã. Nós estamos há quase um ano trabalhando juntas. Somos duas irmãs. ‘O Que Terá Acontecido a Baby Jane’ é a peça, que fizemos uma temporada desde agosto no teatro Porto Seguro e tudo esgotadinho todas as sessões e agora estamos retornando em temporada popular em fevereiro e provavelmente depois virá para o Rio”, disse a triz que convidou a todos para assistí-la no teatro na montagem “O Que Terá Acontecido a Baby Jane”, em cartaz em São Paulo no teatro Porto Seguro a partir de 15 de fevereiro.

Eva já passou dos 80 anos e dá a receita para sua vitalidade. “O amor pelo meu trabalho, pelo meu ofício, pelos meus filhos, pelos meus netos, pelas minhas irmãs de mentirinha e pelo prazer de me doar pelo público”, disse Eva que falou mais da sua paixão pelo público e de sua doação ao trabalho. “É o prazer e principalmente a paixão pelo público. É uma doação que a gente faz. A gente se doa pelo prazer de fingir que é outra pessoa, de emocionar, de divertir e por aí vai”, completou a atriz.

Eva Wilma relembra papel em “A Indomanda” há 20 anos atrás

Eva têm papeis marcantes e que não saem da nossa cabeça, né mores? A atriz viveu as gêmeas Ruth e Raquel na primeira versão da novela “Mulheres de Areia”, de 1973, e a vilã Maria Altiva em “A Indomada”, de 1997, que tocava o #terror na pacata #Greenville do #Cadeirudo.

Vocês se lembram, né mores? #TúneldoTempo

A atriz soltou uma gargalhada ao ser lembrada pela reportagem do #QueIssoGordinho da irreverência de Maria Altiva, personagem que completa 20 anos, que ainda povoa o imaginário dos telespectadores brasileiros.

“[Risos] Maria Altiva Pedreira de Mendonça e Albuquerque [risos]. Ah, eu gostei demais de fazer, muito bem humorado. Eu tive um prazer enorme de criar Maria Altiva no texto do Agnaldo [Silva]”, finalizou a atriz.

Colunista Rodrigo Teixeira

*As informações e opiniões expressas nessa coluna são de total responsabilidade de seu autor.