Letícia Birkheuer fala sobre sua personagem em Malhação


Letícia Birkheuer, que está no ar na nova temporada de Malhação, conversou com o Observatório da Televisão e contou um pouco desse desafio de interpretar Monique, professora de natação, e, mãe de uma jovem de dezoito anos. “Eu cortei o cabelo na intenção de parecer um pouco mais velha. Será que deu certo? (risos). Meu filho vai fazer quatro anos. Olha, é bem divertido. Sabe por quê? Eu e a Pamela Tomé estamos nos dando muito bem. Sei lá. Acho que estamos mais para irmãs. E, ela a mais nova. Talvez? Por enquanto estou me sentindo mais irmã. Mas, em breve, devo me sentir mais mãe”, relatou a ex-modelo, que está completando nesse ano, dez anos de carreira como atriz.

Confira o papo:

Como surgiu o convite para participar da nova temporada de Malhação?


“Depois que acabou Império, o Leonardo Nogueira (diretor) me convidou para fazer parte dessa nova temporada de Malhação. Eu aceitei na hora. É um novo desafio. E, estou adorando a experiência. Estou interpretando uma professora de educação física, que é mãe de uma menina de dezoito anos. A Pamela Tomé, que interpreta a minha filha na ficção, poderia ser minha filha na vida real. É bem parecida comigo. Até o olho puxado ela tem. Estou curtindo conhecer gente nova, que está começando. É bem bacana. Tenho certeza que a gente vai se divertir muito. Costumo dizer que esse projeto é um novo ciclo que se abre em minha carreira”

O que lhe seduziu para participar desse projeto. Pois, você nem tirou férias?

“Eu não tive férias! Na verdade, eu achei interessante por ser um personagem bem diferente do que eu já fiz na televisão e por causa da minha ligação com esporte. Como eu fui jogadora de vôlei durante muitos anos, essa personagem me fez voltar a praticar esporte. Estou fazendo natação. Isso está me conectando cada vez mais com a Monique. Na trama, ela é professora de natação. Além de estar fazendo laboratório, estou curtindo nadar. Quem não gosta?”

Como foi o processo de seleção? Você fez testes?

“Eu não fiz teste. O Leonardo Nogueira já me chamou para esse personagem.”

Como está sendo trabalhar com essa garotada?

“É muito bom! Tudo muito diferente. O elenco é bem alto astral. Estou curtindo. Todo mundo ali está querendo dar o seu melhor. E, isso conta muito. No set, tem uma energia e um frescor único, que às vezes você não encontra em um ator que está trabalhando há um tempo. O entusiasmo da galera jovem tem me surpreendido bastante.”

O seu lado empresária ficou parado?

“Não! Eu tenho uma linha de óculos. Vai fazer três anos. E, os ósculos que eu usei em Império, são da minha marca. E, vendeu muito! Foi muito bem e a marca continua. O produto está sendo distribuído para o Brasil inteiro. Quero deixar claro aqui, que eu não participo da parte empresarial. Eu só dou minha opinião dos modelos e tal. Eu tenho um designer francês que faz as peças e, eu não preciso me preocupar mais com isso. Eu só faço as fotos e aprovo a campanha. Ficou bem mais fácil.”

Seu inicio como atriz foi em Belíssima (2005). Na época, você comentou que estava insegura. Hoje, você é uma atriz elogiada pela critica. Como está sendo trabalhar com essa galera que quer aprender?

“Sabe que essa galera está muito bem? Eles se ajudam entre eles. Eles tiveram uma preparação grande. Eu não tenho visto nenhuma imaturidade na atuação desses novos atores. Pelo menos, com os adolescentes que eu contracenei. Eu ainda não gravei muito ainda. Mas, tem muita coisa por vir. Posso falar, eu tive gente que me ajudou quando eu comecei. A Glorinha (Glória Pires) foi uma mãe para mim. Literalmente! A Fernanda Montenegro me dava dicas o tempo todo. É lógico se essa galera precisar, estarei pronta a ajudar. Eu irei ajudar, como fui ajudada no meu inicio de carreira.”

 Como está sendo interpretar a mãe de uma adolescente?

“Eu cortei o cabelo na intenção de parecer um pouco mais velha. Será que deu certo? (risos). Meu filho vai fazer quatro anos. Olha, é bem divertido. Sabe por quê? Eu e a Pamela Tomé estamos nos dando muito bem. Sei lá. Acho que estamos mais para irmãs. E, ela a mais nova. Talvez? Por enquanto estou me sentindo mais irmã. Mas, em breve, devo me sentir mais mãe.”

Você já imaginou ser mãe de um adolescente?

“Dia desses, eu imaginei uma coisa. Eu vi o meu filho com um metro e noventa e cinco olhando para baixo. Vai ser o primeiro homem que eu vou ver me olhando de cima para baixo (risos).”

Você imaginava de voltar tão rápido para a tevê?

“Não! Acabou a novela, eu tive quinze dias de folga. Ensaiei um musical e fui convidada para Malhação. Tudo muito rápido. O musical Nine deu uma parada. Agora estou me dedicando só a novela. Em breve, ele será encenado no Rio de Janeiro.”

A repercussão de Império ainda continua?

“Continua sim. O povo fala o ‘curuzes’ o tempo todo. Eu acho bem engraçado isso. O sucesso foi grande.”

Recentemente, saiu uma nota na imprensa dizendo que você teria apresentado um atestado de pobreza em uma ação judicial. Essa nota irritou você?

“Olha, isso não me irrita. Tem coisas que eu apago. Eu sei que não é verdade. Se eu ficar mexendo, e respondendo, vou dar mais mídia para um negocio que não tem que ter mídia.”

Você aprendeu um pouco com a Érika, a lidar com a imprensa em si?

“Eu acho que sim. Ela me ajudou bastante a lidar com alguns jornalistas. E, tudo que o Aguinaldo (Silva) escreveu ali, tinha um fundo de verdade.”

Nessa correria toda, está dando tempo de namorar?

“Eu estou solteira. Não tenho namorado. Sabe que eu estou afim de namorar? Não apareceu ninguém ainda não. Quando aparecer eu conto para vocês. É sério!”

Você acha que uma mulher bonita e bem sucedida assusta a aproximação de um pretendente?

“Às vezes não? Sempre! Sempre assusta. Os homemns já não estão conversando com as mulheres que estão na mídia. Imagina as que estão? É sério! Tem uns que tem medo de exposição e tal. Tem gente que não quer isso para si. A maioria não quer ter um relacionamento com uma pessoa como eu. Não é todo mundo que quer ter a vida exposta.”

Você faz terapia?

“Não faço não! Acho um saco. Odeio. Já fiz terapia. Eu sempre falava: ‘essa mulher não sabe nada’. Eu sempre resolvi as minhas coisas sozinha do que com opinião de alguém.”

O que tira você do sério?

“Esperar em aeroporto me tira do sério. Isso é muito chato.”

O paparazzo incomoda você?

“Não me incomoda não. O João está tão acostumado com isso. Que um dia ele falou para um amiguinho: ‘minha mãe é atriz. Ela aparece na televisão’. Eu acho tão bonitinho. E, ele fala com orgulho.”

Você está fazendo dez anos de carreira de atriz. Qual o balanço que você faz dessa década?

“Acho que foi muito bom. Mas, eu amadureci como atriz de verdade foi em Império. Foi um personagem que começou pequeno e, eu me dediquei e ele cresceu. A Érica não estava nem na sinopse. Eu considero que foi um grande presente do Aguinaldo Silva para mim. Mas, também, foi uma grande conquista minha. Foi um bom trabalho, depois de dez anos batalhando.”

André RomanoPor André Romano
Contato: andreromanoo@gmail.com
Facebook: www.facebook.com/andre.romano.524
Twitter: twitter.com/romanoandre