Noveleira sim, e daí? | Primeiro capítulo de Babilônia


Antes de escrever sobre o primeiro capítulo de Babilônia, que aliás foi muito bom, quero fazer mais um desabafo. Pode? Cês deixam? Quem não quiser ler essa parte pode pular direto para a parte de Babilônia. Não vou rogar praga desta vez!

Aaaaaaah, e esse desabafo não diz respeito a quem não gosta de verdade de novelas (conheço um monte de gente) e nem às pessoas que, por qualquer motivo assistem esporadicamente e me perguntam sempre: “Como foi a novela ontem? Me conta?”. Conto tudo com o maior carinho!

Sempre ouço frases assim: “Odeio novelas, mas o Zéééééééé…… o que mesmo? Zé Alberto? Zé Bernardo?” Aí, depois que eu ajudo a pessoa e “lembro” o nome correto do personagem vêm a frase: “IIIIIIIssuuuuuu, Zé Alfredo, ele morre mesmo no final, será?”. E eu sempre respondo: “Mas se você não gosta de novelas, como você sabe que ele vai morrer?” e as respostas são variações das duas opções:


Opção 01: “Entrei no Uol para ler sobre a crise da Petrobras e vi, sem querer, uma chamada.”

Opção 02: “Estava zapeando na TV e aí caiu na Globo e eu assisti um pedacinho. Não sei como você consegue assistir, coisa chata.”

Se você gosta, nem que seja só um pouquinho, é mais bonito assumir do que fingir que não. A gente gosta, se diverte, assiste, critica, e nada disso nos deixa menos inteligente do que quem não gosta (de verdade ou não). Somos Noveleiras (os) sim, e daí?

Babilônia

Quem não assistiu o primeiro capítulo de Babilônia: ôôôôôôôôô bobeou dançou!

Corre gente, corre e vai ler uma resumão porque tudo que aconteceu ontem vai fazer falta para entender a amarração da história. Teve de tudo: beijo gay, chantagem, traição, golpe, mocinha ficando grávida de cafajeste casado, Paris, tiro na cabeça, suborno para quebrar as pernas (literalmente) de uma mulher… Se perdeu o primeiro capítulo segue o resumo do resumo: A Beatriz (personagem da Glória Pires) mata o pai da Regina (Camila Pitanga) e quer colocar a culpa na Inês (Adriana Esteves).

Traduzindo em personagens inesquecíveis das atrizes: Maria de Fátima mata o pai da Bebel e quer colocar a culpa na Carminha.

A novela tem um elenco maravilhoso, e o primeiro capítulo contou com interpretações ótimas, um início muito bem amarrado e com uma boa apresentação dos personagens principais. Teve um beijo delicado, simples, e sem grandes alardes (já nos primeiros minutos da novela) entre o casal homoafetivo formado pelas belíssimas Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg. Eu achei ótimo, afinal mostrou que a intenção dos autores com esse casal não é tratar a expectativa do “vai ter beijo ou não?”, e sim retratar a vida e o amor de um casal do mesmo sexo.

Duas coisas: Inês fazendo um álbum de fotos com recortes de tudo que sai no jornal sobre Beatriz foi desnecessário – acho que a gente já viu isso recentemente, viu não? Aaaaaah, foi em Império!!! Não precisava repetir a mesma técnica para demostrar o fanatismo de um personagem pelo outro.

E Beatriz fazendo a unha e colocando a mão no rosto, mexendo no cabelo, cruzando os braços com um esmalte mágico que seca instantaneamente. Nós, mulheres normais, quando fazemos unhas ficamos com a mão dura por uns 20 minutos….

Mas Babilônia tem tudo para ser um novelão. Daqueles que nos prende do começo ao fim de cada capítulo e que quando não dá para assistir a gente logo grita “Mooorrrrrrr, grava para mim?”. Eu, ontem, não desviei a atenção da novela nem para responder Whatsapp. Minhas amigas já sabem que hora de novela não é hora de me mandar mensagem. Não respondo…. Não mesmo!

Por Geovana Capovilla
www.facebook.com/geovana.capovilla