Laureta (Adriana Esteves) em Segundo Sol
Laureta (Adriana Esteves) em Segundo Sol (Divulgação/ TV Globo)

Laureta Botini (Adriana Esteves) é o nome artístico de Divinéia dos Santos, uma famosa promoter e figurinha carimbada da cena noturna de Salvador em Segundo Sol, próxima novela das 21h, que substituirá O Outro Lado do Paraíso. Sempre por dentro dos eventos mais badalados, é uma mulher extrovertida, enérgica, divertida, mas ao mesmo tempo amargurada, venenosa, violenta e até capaz de matar. Sua rede de relacionamentos vai desde políticos, artistas famosos, empresários ricos até bandidos, e outras figuras conhecidas do crime. Está sempre bem maquiada e bem vestida, munida de uma câmera para postar todos os detalhes de sua vida nas redes sociais.

O que pouca gente sabe é que por trás da fachada de promoter que está sempre pronta para fechar uma lista vip, ela esconde sua verdadeira função: agenciadora de prostitutas de luxo para clientes selecionados. Com olhar atento, Laureta orienta suas meninas a descobrirem os principais segredos de seus clientes mais famosos, sejam casos de infidelidade, vícios ou qualquer coisa que valha uma chantagem financeira. Em posse das informações, ela aciona seu parceiro, o jornalista Rossini, pertencente à imprensa marrom, faz o serviço de chantagear a vítima, a expondo na primeira página de seu jornal, caso ela não pague por seu silêncio.

Leia também: “Não produzem mais nada exclusivo”, dispara Leo Dias sobre A Hora da Venenosa

Laureta nasceu na miséria do sertão baiano, chegou a passar fome e se prostituir em beiras de estradas antes de se estabelecer como prostituta na favela dos Alagados, onde conheceu Karola (Deborah Secco), uma das jovens de quem foi mentora na profissão. É uma mulher que faz de tudo por seus objetivos, indo até as últimas consequências. Juntou dinheiro através de seus golpes, até conseguir comprar uma casa na Praça Castro Alves, onde mora acompanhada por Rossini e por um mico de estimação chamado Jordão.

A cafetina na juventude se apaixonou por Nestor (Francisco Cuoco), um de seus clientes, que na época era militante de esquerda envolvido com a guerrilha. Ao descobrir que o homem estava apaixonado por Naná (Arlete Salles), o entregou para os militares, e ele teve sua vida devastada por isso, guardando grande mágoa dela. Com cerca de 60 anos de idade na segunda fase da trama, manterá um caso com com o jovem Roberval (Fabrício Boliveira), e armará para que ele consiga ficar rico.