O Outro Lado do Paraíso: Duda compra bordel em Pedra Santa em busca do passado e reencontra Clara sem imaginar que ela é sua filha

O Outro Lado do Paraíso
Elizabeth/Duda (Gloria Pires) de O Outro Lado do Paraíso (Divulgação/ TV Globo)

Já ficou bem claro para o público de O Outro Lado do Paraíso a ligação entre Duda (Glória Pires) e Clara (Bianca Bin). E o caminho das duas acaba se cruzando algumas vezes sem que elas desconfiem dessa ligação. O primeiro encontro foi em um shopping do Rio de Janeiro, na lua de mel da mocinha. Nos próximos capítulos, quando Clara for atirada do penhasco dentro do caixão, ao fugir do hospício, ela vai ficar a deriva no mar e será salva por Danilo, um pescador amigo de Duda, que estará morando na cidade praiana próxima ao Hospício Santa Cecília. E com a ajuda da mulher, a mocinha conseguirá fugir da região sem que ninguém desconfie que ela sobreviveu.

Logo depois, Duda passará por outro ataque de Natanael (Juca de Oliveira) e vai se mudar da cidade praiana. Desta vez, ela decide voltar para Pedra Santa, no Tocantins, na tentativa de resgatar seu passado. Na cidade, ela conhecerá Leandra (Mayana Neiva) e se tornará sócia do bordel. Aos poucos, Duda vai revelando que está atrás de uma pessoa muito importante de seu passado, mas sem deixar claro que é sua filha. A nova amiga aconselha Duda a procurar Mercedes (Fernanda Montenegro) na tentativa de alguma pista.

Crítica: Grande atriz, Glória Pires faz mais um ótimo trabalho em O Outro Lado do Paraíso


De frente com a mulher que ouve vozes do além, Duda vai contar seu desejo: “Encontrar uma moça. Pode ser que more em Pedra Santa, ou por aí, na região. Mas não sei o nome”. Mercedes, então, diz: “Mesmo assim há de ter uma ligação com você. Mas preciso ouvir, confirmar”. Curiosa, a nova dona do bordel vai indagar com quem a velha fala. “Confirmar com quem? Anjos, criaturas do céu?”. “Não sei quem são, só sei que não pertencem a esse mundo”. Desconfiada, Duda não vai acreditar nos poderes de Mercedes, que dirá: “Seu coração tá fechado pra mim…Eles silenciaram porque você não acredita. Pediram que eu não diga nada a você. Devo deixar que o destino siga o seu caminho”.

Duda vai embora e, decepcionada, dirá a Leandra que o encontro com Mercedes não a ajudou em nada. “Pois eu continuo com meu plano original. O pai da minha filha vai aparecer aqui”. E as teias do destino continuarão a ser tecidas. Assim que volta para Palmas, Clara vai reencontrar o avô morando com Mercedes e fará uma grande compra de mantimentos no mercadinho de Pedra Santa para enviar para a casa da velha. É lá que ela vai encontrar Duda mais uma vez. “Eu pensei que nunca mais a veria na vida! Lembra de mim, não lembra? Sou a Clara. E você é a …”, diz. “Duda, claro que lembro. Mas tá bem vestida, vê-se que tem dinheiro”, indaga a dona do bordel, que aconselhará a moça a não falar com ela para não ficar mal vista na cidade. “To no bordel, mulheres decentes não falam comigo”.

Mas a gratidão de Clara é grande. Ela vai procurar Duda no bordel e oferecerá ajuda a ela. “Duda…eu lembro que seu nome não é bem Duda mas enfim, quando nos vimos a primeira vez, era uma mulher rica”, diz a mocinha, relembrando o encontro no shopping. “Você me ajudou muito. Se não fosse por você, talvez tivesse voltado ao hospício. Mas me deu roupas, dinheiro, arrumou uma carona num caminhão para eu deixar a cidade sem pistas. Você foi um anjo para mim. No entanto, agora está aqui, no bordel. Caiu ainda mais”, continuará Clara, agradecendo toda a ajuda e convidando Duda para morar na casa dela. “Você sim, é generosa. Mal me conhece. Me encontra aqui e é capaz de estender a mão. Eu tenho vergonha de mim. Até programa fiz esses dias. Sabe que farei novamente? Eu sei que sim. Farei. Olha pra mim, Clara. Sou o tipo de mulher que deseja na sua casa, rica? Eu não sou mais uma mulher apresentável”, diz Duda, que continua tendo a gratidão da desconhecida.

Veja também: O Outro Lado do Paraíso: Clara fica entre a vida e a morte após parto e Renato salva mocinha

“Importa é que é minha amiga. Venha! Sua vida pode mudar”, promete. “Eu não quero mudar. Quero ficar aqui, afundar na bebida. Também esperança de encontrar uma pessoa”, conta. “Um homem?”, questiona a mocinha. “Não importa quem. Mas não, eu vou ficar aqui”, diz Duda, que nem imagina que está conversando com a própria filha.