Patrícia, eliminada do sétimo paredão do BBB 18
Patrícia, eliminada do sétimo paredão do BBB 18 (Divulgação/ TV Globo)

“É impossível passar pelo confinamento do BBB, convivendo com tanta gente diferente e sair daquela casa sendo a mesma pessoa que entrou”. Patrícia saiu diferente mesmo: voltou ao “mundo real” apaixonada e surpresa com a reação do público, já que não se via fazendo nada de errado durante o mais de um mês e meio que passou na casa. Ela acredita que sua “leitura errada do jogo” a prejudicou, mas atribui muitas de suas ações à fidelidade aos amigos que conquistou, sobretudo Ana Paula, Diego e Kaysar. Agora, Patrícia quer virar a página e fazer com que as pessoas conheçam sua alegria e relembrem a pessoa brincalhona e divertida que era no início do jogo. “Estava lá jogando e acredito que quem vai para um reality show vai para dar a cara à tapa mesmo. Mas o jogo acabou para mim e agora quero viver intensamente aqui fora”.

Patrícia deixou o Big Brother Brasil nesta terça-feira, dia 13, com o recorde de rejeição da edição até o momento: levou 94,26% dos votos. Ela disputava a permanência no jogo com seus aliados Diego e Caruso. O escritor teve 3,30% dos votos e o publicitário, 2,44%.

Leia também: Band “queima” MasterChef ao exibi-lo no mesmo horário do BBB


Como foi o seu período no BBB 18?

Foi uma experiência muito nova para mim. Nunca tinha vivido um confinamento, muito menos com pessoas estranhas. Acho que ninguém que entra no programa sai a mesma pessoa. A gente aprende muito com questões como convivência e tolerância. Embora tenham acontecido algumas coisas e eu tenha saído com rejeição, quem vai para um reality show vai para dar a cara a tapa.

Onde você acha que errou?

Fiz uma leitura errada do jogo. A gente não sabe o que acontece do lado de fora, não sabe quem é quem lá dentro, não sabe a interpretação que uma frase dita pode ter e qual será a repercussão dela. Acho que o que pode ter me prejudicado foram algumas coisas que falei, a combinação de votos e ter tido desafetos com pessoas queridas aqui fora. Mas eu estava lá jogando.

E qual era a sua estratégia como jogadora?

Me proteger e proteger os meus amigos para juntos, chegarmos à final e, lá, deixar o público decidir o vencedor. Eu queria começar jogando e, quando chegasse o momento em que estivéssemos só entre amigos, chegaríamos à final.

E quem estaria nessa sua final dos sonhos?

Eu, Ana Paula, Diego e Kaysar. Eles três são pessoas que quero levar para sempre na minha vida. Gosto demais também do Caruso, do Viegas, do Lucão e da Jéssica.

Você fez amigos, mas também teve conflitos na casa… Como fica isso agora?

O Papito me disse uma vez que eu era planta, uma mudinha, porque eu não “tretava”, não ganhava prova… Mas não era isso. Até então, ninguém tinha mexido comigo. Quando mexeu, eu me defendi. A Gleici me viu como uma possível ameaça e focou em mim, porque o Diego já tinha voltado de um Paredão. Então, acho que ela arriscou vindo em mim. Lá dentro da casa, eu disse que não queria mais ter contato com a Gleici, porque fiquei muito chateada com a forma como ela me expôs. Mas acho que agora, com a cabeça mais fria, não tem motivo para alimentar isso. O jogo ficou pra trás e os conflitos acabaram lá.

Como começou o seu romance com o Kaysar?

O Kaysar me mostrou um texto de um livro do Wagner que falava “o amor nasce de uma brincadeira e depois vira verdade”. Foi daí que percebi que estava rolando. É verdadeiro o que sinto por ele. Gosto dele, sim. Ele é encantador, por isso encantou tanto a mim quanto ao Brasil inteiro. Ele é lindo, brincalhão, cheiroso, levantava o meu astral. Não acertamos nada sobre o futuro, até mesmo porque ele tinha muita certeza de que eu iria ficar na casa.

Você também tinha essa certeza, de que não sairia ainda?

Sim, eu acreditava. Porque eu não me via fazendo nada de mal para ninguém.

O que fez você querer entrar no BBB?

O prêmio e a experiência. Eu queria ficar famosa.

O que foi mais difícil dentro da casa?

Resistir ao Kaysar. Nossa senhora…

E qual foi o momento que mais te marcou?

A saída da Ana Paula foi muito dura para mim. Foi quando eu tive a sensação de realmente estar no jogo. Tinha a dor de estar vendo uma aliada saindo e, logo em seguida, o embate que eu tive com a casa. Porque eu assumi uma briga contra casa e aí foi aquela confusão. Foi muito difícil.

Nesses momentos difíceis, você tinha algum refúgio?

Os braços do Kaysar, no Quarto Submarino.

Em menos de 12 horas fora da casa, você já consegue fazer um balanço da sua participação?

Eu entrei brincando muito, me divertindo muito. Só que chegou um momento em que o jogo ficou pesado. Teve um momento em que os meninos ficavam até brincando comigo ‘E aí hitmaker, por que você não está compondo nada?’. Eu realmente não conseguia compor nada, porque o clima da casa estava péssimo, pesado demais para estar cantando, gritando. Acho que errei aí também. O Kaysar sempre falava ‘Vamos lá! Vamos viver isso aqui! Vamos aproveitar! Sai desse quarto, menina!’, e eu sempre recusando, achando que não devia ser assim. O Kaysar tem uma visão do jogo muito maravilhosa, que é a mesma visão que ele tem da vida. Se ele ganhar, ganhou, ótimo, mas se não ganhar, tudo bem também. E isso foi o que mais me encantou nele: a forma como ele encara as coisas.

Você já teve algum contato com pessoas aqui fora, além da sua família?

Já recebi muitas mensagens positivas. Não foram só haters. Pessoas me elogiaram dizendo que fui eu mesma, que fui sincera, que disse verdades. Estou muito feliz por ter tido uma torcida e ter percebido que não fui tão odiada assim.

Você se arrepende de alguma coisa?

Eu acho que eu tinha que discutir com a Gleici na hora em que ela disse que eu falava mal da Ana Clara em todos os lugares da casa. Me senti muito ofendida, porque aquilo não era verdade. Em relação ao Papito, quando ela disse que eu falava mal dele, principalmente depois da liderança, eu falei para ele. Mas o Wagner também falava mal e, dele, ela não disse nada. Isso me estressou. Depois ela me chamou de falsa quando eu troquei um brinco com a Paula, que nem era meu. Acho que ela me queimou em rede nacional sem necessidade. Ela poderia ter me indicado na boa, sem me deixar mal com o publico.

Quais são seus planos agora?

Trabalhar, criar meu filho, voltar a fazer as coisas que eu gosto, ficar com a minha família, dançar forró…

Agora que saiu, como você acha que fica o jogo e quem você acha que leva o prêmio?

Torço para o Kaysar e o Diego, mas acho que o Kaysar leva. Eu e o Diego somos vistos como vilões. Acho que com o Diego vai acontecer o que aconteceu comigo e com a Ana Paula: mais cedo ou mais tarde, ele sai. Ele vai cair no paredão se não for líder. Eu não sei se ele vai fazer uma releitura com a minha saída, porque ele é muito inteligente, e não creio que vá se aliar ao outro lado, acredito que vá continuar o jogo sozinho. O Kaysar não vai se juntar a ele para combinar votos, então ele vai continuar só também. Se ele for só, talvez isso faça o público ter uma outra visão dele, que era o que eu queria para mim desde a saída da Ana Paula.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor coloque seu nome aqui