BBB 14 terminou com a pior audiência entre todas as edições


Bial
A décima quarta edição do Big Brother Brasil foi de longe a pior entre todas as temporadas. O BBB turbo não possibilitou que os participantes conquistasse a simpatia do público. Até mesmo os mais cativos declinaram em acompanhar a atração. Especialistas em BBB já vinham apontando ao longo do programa que tudo estava sendo encaminhado ao contrário da expectativa do público; e se tiver mesmo uma próxima edição que tudo seja modificado.

Na média geral, o Ibope registrou 21 pontos de audiência, dois importantes dígitos a menos ao da edição anterior que ficou na casa dos 23. Um sinal claro de desgaste ao longo da história do reality. Segundo um dos antigos participantes, o Nasser do BBB 13, em entrevista ao colunista Maurício Stycer da Uol TV, a atração requer uma grande mudança em tudo que há se quiser sobreviver mais algumas edições.

O ex-BBB aponta que tudo na atração deve ser mudado, a começar pelo diretor e apresentador. Bial e Boninho já demonstram clara saturação do formato. Nos discursos de eliminação do apresentador é possível notar a falta e empolgação, há textos sendo repetidos e não há novidades nos diálogos. Haja vista ele cantar parabéns para a campeã no instante, que normalmente fica marcado para a história, que é o anúncio do campeão.


A saturação por parte do Boninho estava na elaboração de provas que mais combinavam com gincanas escolares. Simplicidade e repetições eram as marcas desta edição. Criatividade quase zero. Até mesmo a personalidade no grande número de participantes era semelhante.

Outro ponto que coloco é a fria emoção da final. É um show, onde todos se reúnem para somente ouvir o cantor. Não há valorização da emoção dos ex que voltam a se reunir, não há clima de suspense, não existe uma produção digna que valha como grande final. O que todos querem é ver se alguém se regenerou, se há algo ainda a dizer depois de tudo, mas nada, o mérito da vitória, acertos erros de cada um. Nada. Fica tudo como está quem se queimou queimou e assim a vida segue.

Grandes erros do BBB 14

Não é a falta de polêmica entre os participantes que afundou essa edição, houve a formação de casais, brigas; intrigas. O formato duvidoso, com pressa e sem empolgação é o que prejudicou a audiência.

Tudo começou com a falta de pompa no dia da estreia. Atrasando a exibição de uma grande série, Amores Roubados que teve ótimos índices de audiência, o início do BBB 14 foi bem curtinho. No começo um número recorde de participantes, 20 ao todo. No primeiro dia prova do líder e uma sequencia de eliminações. Em apenas duas semanas, sem condições de ter empatia pelos participantes, o público teve que eliminar 6 brothers.

A ação de marketing com Valdirene, personagem de Tatá Werneck da novela Amor à Vida também não foi bem aproveitada. Um desperdício quando o folhetim anunciou a entrada dela na casa e tudo foi feito as escondidas. Para o público a ótima participação da atriz e humorista que ficou um dia no reality foi apresentada sem nenhuma importância.

A entrada das mães e tias dos participantes também foi algo bem intencionado, mas mal aproveitado. Imaginava-se que elas, mesmo separadas por um muro, contasse aos seus defendidos algo de fora da casa. Mas isso não afetou em nada a rotina da casa que contou com a presença delas, mas para praticamente uma semana de spa.

Quem tem o pay per view à decepção por pagar para ver cenas exclusivas também foi por água abaixo. Quando participantes citavam: A Fazenda da Record, artistas de dentro ou de fora da Globo as câmeras se distanciavam e o áudio era cortado.

Está certo que ninguém está livre de erros, mas em 14 edições a atração ainda falha com tantos áudios para se preocupar e também com as informações reveladoras que o apresentador e interlocutor passava aos participantes. Dicas e orientações de como determinado jogador deveria se comportar foi por diversas vezes ditas por Pedro Bial.

Em um jogo onde o confinamento deve ser total, a público resolveu começar a interferir na audiência. As escolhas e opiniões dos telespectadores nada batiam com o da atração. A análise era diariamente feita em sites não oficiais, mas que tem experiência cobertura da atração. O desgaste fez com que a Globo e a Endemol entrasse na justiça e proibisse que esse trabalho fosse feito por portais de entretenimento. Felizmente, após alguns dias de censura a ação foi logo revogada.

Até mesmo Faustão e Ana Maria Braga que cobrem paralelamente o programa dentro da emissora não demonstram mais tanta atenção ao reality.

Resta saber o que será da já anunciada 15ª edição. Se seguir a evolução das últimas edições a de 2015 será ainda pior.

Vamos rir da situação

Não gostar desse desfecho tudo bem, mas também não precisa chegar a essa situação né!