Globo audiência

As tantas mudanças que a Rede Globo vem promovendo tem não somente a renovação da grade de programação, mas a busca por uma condição mais sólida na audiência que vem caindo a cada período. A crise que interfere na programação tem causado estresse principalmente entre os comandantes da emissora.

Mesmo com todos negando, a emissora da família Marinho está passando sim por uma crise. Fato é que os programas não estão dando o resultado esperado. Nada mais na emissora tem tido repercussão entre o público, além da baixa audiência dos produtos da casa. As metas estipuladas não estão devidamente sendo alcançadas.


O diretor geral, Carlos Henrique Schroder, tem passado bastante tempo falando com os diretores de núcleo, cobrando explicações, sobre essa imensa decepção. Um exemplo que não agradou o diretor foi o programa Vem Aí, exibido no início de abril apresentando a nova programação.

Schoroder viu e não gostou do que apareceu das câmeras. Apresentadores saidinhos, falhas de edição, frases que não deveriam ser ditas, plateia bem morna e apresentações musicais pra lá de entediastes. Da sem graça novela das nove, os diretores já cortaram os “Momentos em Família”, que era transmitido ao final dos capítulos. Os créditos ao final das atrações também rodaram, agilizando o dinamismo e segurando a audiência.

Acredita-se que logo em breve outras coisas julgadas desnecessárias sumirão da telinha, que é pra ver se o público se prende aos produtos globais. A novela das nove já caminha com poucos capítulos de frente prontos, o que vem criando cabelo branco nos diretores, que têm pouco tempo para gravar e editar tudo.

Por hora a esperança da Globo está mesmo é depositada na Copa. Como única com direto de transmissão dos jogos a emissora deve elevar muito o share. O problema vai ser se o time brasileiro decepcionar e não avançar na competição.

Na batalha por audiência muitas vezes a questão é somente sorte.